sexta-feira, 16 de maio de 2008

O "paradoxo francês"


RENAUD & DE LORGERIL em estudo da Organização Mundial de Saúde (projeto MONICA), evidenciaram que a incidência de doença cardíaca isquêmica (DCI) é menor na França do que em outros países industrializados, apesar de naquele país a dieta ser rica em gorduras e a incidência de fumantes na população alta, evidenciando-se todos os fatores de risco: consumo de gordura saturada, nível de colesterol sérico, pressão arterial, índice de massa corporal, tabagismo e sedentarismo. Esse fato foi designado pelos autores como o "paradoxo francês".

E qual o segredo desses franceses?

Isso foi atribuído ao consumo regular de vinho pelos franceses, pois o álcool eleva os níveis de HDL (high density lipoprotein ou lipoproteína de alta densidade), conhecido como o “bom colesterol”, no sangue. O "paradoxo francês" de Renaud e Lorgeril chamou muito a atenção dos pesquisadores, da imprensa mundial e conseqüentemente, do público. A divulgação do "paradoxo" em programa de alta audiência (21 milhões de espectadores) na TV americana teve tanta repercussão que as vendas de vinho nos EUA aumentaram 44% nas quatro semanas seguintes à apresentação do programa.
A segunda grande pesquisa sobre o assunto, em 1995, destacou os efeitos do vinho em relação a outras bebidas alcoólicas: realizada com 13 mil pessoas durante 12 anos por cientistas dinamarqueses do Copenhagen Heart Study, a pesquisa traz evidências de que as taxas de mortalidade diminuem mais entre pessoas que bebem vinho do que naquelas que tomam cerveja ou destilados.


Segundo algumas pesquisas o vinho ajuda:
A evitar doenças cardíacas: 1 a 3 taças de vinho por dia diminui em até 50% o risco de doenças coronarianas. Pesquisadores sugerem que pode haver outros componentes da bebida, além do etanol (álcool), com poderes preventivos (antioxidantes, taninos e componentes fenólicos).
A combater o câncer: Pesquisa feita por 2 biólogos moleculares da Universidade da Carolina do Norte (EUA), publicada em junho de 2000, relata evidências de que a substância resveratrol, encontrada na casca da uva, promove a morte das células cancerígenas por meio da inibição de uma proteína específica.
Além disso, pesquisas sugerem que o vinho também combata o mal de Alzheimer, promova prevenção de úlceras, também não engorda: pesquisa de 1997 desenvolvida na Universidade do Colorado (EUA) concluiu que homens saudáveis podem beber até 2 taças de vinho diárias sem ganho de peso.

Apesar do sucesso entre o público leigo, o "paradoxo" não conseguiu unanimidade na comunidade científica e já no número seguinte do periódico The Lancet, onde fora publicado "o paradoxo", existem cinco artigos que criticam o trabalho dos franceses. Assim, GURR argumenta que não se convenceu nem quanto ao efeito protetor do álcool e nem quanto a diferença de consumo de álcool entre a cidades francesas e de outros países. Cita inclusive a hipótese de outros autores, de que o alto consumo de álcool em algumas delas seria reponsável pela maior, e não menor, incidência de DCI. Diz ainda que a DCI continuará a ser paradoxal enquanto pesquisadores insistirem que os fatores dietéticos são os mais importantes. Acha que muitos outros fatores mais importantes dentro do estilo de vida deveriam ser considerados nessa equação. SEGALL , outro crítico do "paradoxo", lembra que em trabalho anterior utilizando as mesmas populações do trabalho de Renaud e Lorgeril, verificou que a lactose tem alta correlação positiva com DCI, dado ignorado na análise daqueles autores. Assim, o papel da lactose e não do vinho poderia ser relevante na DCI, já que populações que consomem mais vinho têm maior prevalência de má absorção de lactose e consomem menos alimentos ricos em lactose.

Entre dúvidas e certezas o bom mesmo é beber com moderação, portanto meu amigo, se você aprecia um bom vinho e está preocupado com a sua saúde lembre-se, apenas uma taça de vinho por dia!!!



4 comentários:

Carlos disse...

hohoho to saindo..... já to indo no super compra meu vinho .......valeu Thi pelas dica

ParadaMED disse...

O duro é permanecer na 1-3 taças por dia....
depois de uma semana a moçada já ta no gargalo...

Anônimo disse...

o controverso ¨paradoxo francês¨ Entre dúvidas e certezas o bom mesmo é beber com moderação.
Julio Dias

edimilson disse...

Tudo na medida certa. O vinho é conhecido desde a antiguidade. Fez muito sucesso entre o povo de Deus. Portanto bebam com moderação!

Related Posts with Thumbnails