domingo, 28 de junho de 2009

No vazio tudo grita


No vazio: um grito!
Tudo agita
Tudo ensurdece
Tudo emudece

No vazio tudo esquenta
Tudo queima no vento frio
Tudo tem sabor amargo de rancor

No vazio tudo esfria
Tudo treme de calor
Emitido por um sol tomado por avaria
Tudo machuca de dor
Sentida com o desespero do pavor

No vazio a escuridão enfim se revela
Sorrisos fingidos sem cautela
Enchendo de lágrimas a fonte seca do amor

Mas nada agoniza mais o vaso de barro frio
que de forma cerca o vazio...
Nada trinca mais o cálice esguio
Que saber que a lágrima de sangue inebriado de vinho
Vem da certeza que a solidão que te confidencio
É a única entidade que preenche o vazio.


Thiago Moraes

4 comentários:

Camila disse...

forte...


=*

tragada disse...

Tocante desde a imagem!!!

Pra pensar:

"Vem da certeza que a solidão que te confidencio
É a única entidade que preenche o vazio."

Bjks

kryss

Taciana disse...

Entrevista: deputado Celso Giglio fala sobre CPI dos cursos de medicina

O deputado estadual Celso Giglio (PSDB/SP), presidente da CPI que vai investigar a proliferação dos cursos de medicina disse estar preocupado com o grande número de abertura de novas faculdades de medicina. Em entrevista exclusiva à Rádio FENAM, o deputado apontou que a qualidade do ensino médico vai ser um dos principais pontos questionados durante a CPI.

Confira a entrevista completa na rádio FENAM: http://portal.fenam2.org.br/portal/showData/385840

Orestes disse...

Augusto dos Anjos "perde" em niilismo...

Arthur Rimbaudt "perde" em maldição...

As borderlines "perdem" em hemorragia...

Poesia niilista, maldita, hemorrágica!

Marginal...Adoro!

Related Posts with Thumbnails