sexta-feira, 13 de setembro de 2013

Psiquiatria



É uma especialidade surpreendente!
Um dia pode ser o suficiente pra te cansar por um mês.
Um paciente pode ser o suficiente pra te cansar por todos os outros.
Aqui você torce pro seu paciente falar, falar, falar o máximo que puder, da forma e velocidade que puder pois o silêncio se torna preocupante. 
É olhar sem saber a quem, em que espaço e em que tempo se está olhando. 
É tocar o intocável, ouvir o inaudível. 
Encher a cabeça de nomes, dias, fatos, histórias, emoções e sentimentos. 
É se deparar, por vezes com o desumano, o desumanizado e o desumanizante. 
A psiquiatria assusta! 
Assusta mais do que causa medo. Assusta ver um quadro avassaladoramente devastador levando embora um ser inocente, belo, inteligente. Assusta ver um livro transformado em uma sopa de letrinhas, desagregado, desalinhado, picotado. 
Talvez, para que se tenha uma boa Psiquiatria, a diretriz diagnóstica mais importante e vital a todos os transtornos abordados pela especialidade seja uma que nenhum dos manuais diagnósticos adotados cita: SENTIR. 
Talvez uma definição adequada para a palavra Psiquiatria seja "Sentir a sutileza". Em nenhuma outra especialidade médica o Diagnóstico é tão ambivalente, delicado e controverso. É preciso perceber, captar as diferenças que podem estar em apenas uma palavra dita (ou não dita) pelo paciente, mais que isso, muitas vezes a diferença está não na palavra, mas nas diversas formas de comunicá-la. 
Sentir dói. 
É preciso estar disposto a sentir seu paciente, é preciso se jogar contra uma enxurrada que vem em ondas fortes, violentas e surpreendentes na sua direção e não poucas vezes em uma outra direção qualquer, e ai você tem que nadar, nadar, nadar mesmo sabendo que tem que, por vezes, permitir-se morrer na praia. Tudo isso sem se machucar. 
Como sentir sem absorver? 
É a arte do sentir e dessentir. 
É preciso querer chegar e partir sem antes saber aonde se vai nem de onde sair. 
A psiquiatria é linda e gratificante. É forte, é impactante. É compartilhar o ser humano em sua essência mais pura e crua. 
É viver várias vidas em uma só, num único dia, em um único momento em uma única sala, mesmo que não haja ninguém mais além de você nela. 

Thiago Moraes.


--
Thiago Roberto Sarmento de Moraes

http://sanidadeinsana.blogspot.com/
http://tudoglobal.com.br/category/blogs/sanidadeinsana
http://twitter.com/thiagoroberto

3 comentários:

Camila Sousa de Almeida disse...

Aeee muito bem! Voltando a nos presentear com seus poeticamente inspirados textos! Volte sempre, sinta-se em casa! ;)

Cinthia disse...

Que post lindo!
A psiquiatria é mesmo fascinante...
Tudo de melhor na sua residência!

RENATA LEITE disse...

Brilhante, fascinante!!!!!

Related Posts with Thumbnails